Constelação Familiar Sistêmica

A Constelação Familiar é um método psicoterapêutico fenomenológico criado e desenvolvido pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger. A Constelação Familiar estuda os padrões de comportamento dos grupos familiares através das gerações.  Bert Hellinger observou o trabalho da psicoterapeuta americana Virginia Satir que analisava as esculturas familiares, e ao colocar um estranho para representar o cliente, este representante começava a sentir e agir como a pessoa. Este fenômeno foi experenciado e estudado pelo biólogo Rupert Sheldrake, que explica como todos os animais de bando, incluído os humanos, estão conectados por um campo de informação, compartilhado por todos seus membros. Este campo é chamado de campo morfogenético.

A Constelação Familiar mostra que muitos de nossos problemas, doenças, incompreensões e sentimentos ruins podem estar ligados a outros familiares que passaram por essas mesmas adversidades, mesmo que não tenhamos conhecido os mesmos. Esse método explica que há uma repetição de comportamentos de acordo com gerações, mesmo que de uma maneira inconsciente. Bert Hellinger observou que há uma “consciência de clã” em todos nós e esta consciência é norteada por simples “ordens arcaicas” ou “ordens do amor”. Essas ordens do amor referem-se a três princípios norteadores:

1 - a necessidade de pertencer ao grupo ou clã.

2 - a necessidade de equilíbrio entre o dar e o receber nos relacionamentos.

3 - a necessidade de hierarquia dentro do grupo ou clã.

As ordens do amor são forças dinâmicas e articuladas que atuam em nossas famílias ou relacionamentos íntimos. Percebemos a desordem dessas forças sob a forma de sofrimento e doença. Em contrapartida, percebemos seu fluxo harmonioso como uma sensação de estar bem no mundo.

Na prática a Constelação familiar consiste em um método no qual um cliente apresenta um tema de trabalho e, em seguida, o terapeuta solicita fatos sobre a vida dos membros de sua família, como casamentos anteriores, números de filhos, irmãos, mortes precoces, abortos, suicídios, assassinatos, doenças graves.

Com base nessas informações, pede-se ao cliente que escolha entre outros membros do grupo, de preferência estranhos a sua história, alguém para representar ele e outros para representar os membros do seu grupo familiar em questão. Esses representantes são dispostos no espaço e começam a representar como o cliente e seus membros do grupo familiar. Guiados pelas reações desses representantes, pelo sentir a conexão com o campo e com o sistema familiar do cliente e pelo conhecimento das "ordens do amor", o terapeuta conduz, quando possível, os representantes até uma imagem de solução onde todos tenham um lugar e se sintam bem dentro do sistema familiar.

A abordagem da Constelação apresenta uma vasta gama de aplicações práticas no campo das relações humanas, como:

  • melhoria das relações familiares.
  • melhoria das relações interpessoais nas empresas.
  • melhoria das relações no ambiente educacional.

Tais aplicações deram início a abordagens derivadas, denominadas de Constelações Familiares, Constelações Organizacionais e Pedagogia Sistêmica.

As Constelações Familiares e Organizacionais podem ser representadas por pessoas ou por bonecos.

Fonte: Wikipedia

Para maiores esclarecimentos e diretrizes, marque sua consulta.

isabela.stalker@gmail.com               Tel: 21 3251-8121/99350-8069